Sobre o Simpósio

Português                 English

A vida secreta dos objetos_imagempor_site

Vida Secreta dos Objetos: Ecologias da Mídia

Existem fortes indicações de que uma transformação significativa está se processando no horizonte das chamadas “Ciências Humanas” (Geisteswissenschaften, Sciences Humaines, Humanities). Após um período de intensa crise e incerteza, no qual as ciências humanas frequentemente tiveram como objetivo refletir ou aproximar-se das ciências físicas e naturais, as primeiras décadas do século XXI têm revelado uma ampla renovação de disciplinas, abordagens e metodologias. Ao questionar suas bases tradicionais, as ciências humanas estão se reinventando através de uma ampla reconfiguração de suas fronteiras e até mesmo da noção de “humano”, que tem servido como sua pedra angular. Uma das áreas em que a riqueza deste novo cenário é mais claramente mostrada é a de Estudos de Mídia:  estimuladas pelas novas tecnologias digitais, apropriaram-se dos princípios epistemológicos e das principais questões teóricas que vêm caracterizando a cena cultural contemporânea.

O objetivo do Seminário “A Vida Secreta dos Objetos: Ecologias da Mídia” é a esboçar uma sistematização desse cenário a partir de uma perspectiva transdisciplinar, mas com foco decisivo na Teoria da Mídia, Estética e Estudos Culturais. O tópico do Seminário representa um campo emergente que atravessa diferentes disciplinas das Ciências Humanas – da Sociologia à Filosofia – mas adquire um significado especial no contexto de novos Estudos de Mídia. O pressuposto subjacente é que precisamos repensar radicalmente a noção de agendamento epistêmico em um contexto onde a ação e impacto de objetos, meios de comunicação e materialidades tecnológicas tornam-se cada vez mais importantes.

Assim, é necessário investigar o local de atores humanos em um mundo enriquecido pela vida de objetos polimórficos e também destacar questões que a tradição hermenêutica tem obscurecido. Que novos modelos de pesquisa histórica das técnicas e da cultura estão surgindo dentro dos atuais paradigmas epistemológicos? De que forma é a dimensão material da experiência combinada com as dimensões intangíveis de cultura? Em que sentido faz a categoria do próprio reconfigure humana à luz das nossas novas relações com os objetos e entidades não-humanos? Quão importante é o legado da genealogia e arqueologia do saber (Nietzsche, Foucault) para um perspectivização dos impactos da “nova” cultura digital?

Focando a ideia de “ecologias de mídia”, pretende-se abordar questões que se tornaram prementes nos últimos anos, como a catástrofe ecológica e climatológica (incluindo a descartabilidade dos materiais tóxicos utilizados em nossos aparelhos eletrônicos), a integração contínua entre dispositivos de mídia e espaços urbanos, o desenvolvimento de novas técnicas de pesquisa dedicados à análise de nossos ambientes de mídia e as novas formas complexas de inter-relação entre cultura e natureza. Por meio de painéis interdisciplinares, em que filósofos, antropólogos, artistas e cientistas vão discutir com especialistas em estudos de mídia, temos a intenção de abordar estas questões, a fim de elaborar uma cartografia preliminar de um território epistemológico ainda em seus estágios iniciais de exploração.

A vida secreta dos objetos_imagemenglish_site

The Secret Life of Objects: Media Ecologies

There are strong indications that a significant transformation is underway in the so-called “Human Sciences” (Geisteswissenschaften, Sciences Humaines, Humanities).  After a period of intense crisis and uncertainty, in which the Human Sciences have frequently sought to mirror or approach the Natural and Physical Sciences, the first decades of the twenty-first century have seen a broad renewal of disciplines, approaches and methodologies. By questioning its traditional foundations, the Human Sciences are reinventing themselves through a broad reconfiguration of its borders and even of the notion of the “human” that has served as its cornerstone. One of the areas where the wealth of this new scenario is most clearly displayed is that of media studies. Spurred by the impact of new digital technologies, media studies cleverly learned to appropriate the epistemological principles and major theoretical issues that have come to characterize the contemporary cultural scene.

The objective of the Seminar “The Secret Life of Objects: Media Ecologies” is to sketch a systematization of this scenario from a transdisciplinary perspective, but with a decisive focus on media theory, aesthetics, and cultural studies. The main topic structuring the Seminar represents an emerging field that cuts across different disciplines in the Humanities, from Sociology to Philosophy, but acquires special meaning in the context of new media studies. The underlying assumption is that we need to radically rethink the notion of epistemic agency in a context where the action and impact of objects, media and technological materialities have become increasingly important. In this context, it is incumbent upon us to explore new (and possibly less harmful) forms of relationship between human agents, nature, and technology.

Thus, it is not only necessary to investigate the place of human actors in a world enriched by the life of polymorphic objects, but also to highlight the issues that the strong humanities tradition of hermeneutics has often obscured.  What new models of historical research of techniques and culture are emerging within the current epistemological paradigms? In what ways is the material dimension of experience combined with the intangible dimensions of culture? In what sense does the category of the human reconfigure itself in light of our new relations with objects and nonhuman entities? How important is the legacy of the genealogy and archeology of knowledge (Nietzsche, Foucault) to a perspectivization of the impacts of “new” digital culture?

Most importantly, by focusing on the idea of “media ecologies”, we also hope to tackle issues that have become pressing in the last years, such as ecological and climatological disaster (including the disposability of the toxic materials used in our electronic gadgets), the ongoing integration between media devices and urban spaces, the development of new research techniques devoted to the analysis of our media environments and the complex new forms of interrelation between culture and nature. By means of interdisciplinary panels, in which philosophers, anthropologists, artists and scientists will discuss with experts in media studies, we intend to address these issues in order to elaborate a preliminary cartography of an epistemological territory still in its early stages of exploration.

Anúncios